Bom Dia, Verônica: série é para os que tem estômago forte

Bom Dia, Verônica, escrito por Raphael Montes e Ilana Casoy, foi adaptado para a Netflix, sob roteiros dos próprios escritores, ou seja, todas as diferenças entre a série e livro foram aprovadas por eles.

Bom Dia, Veronica': Adaptação ganha teaser e data de estreia na Netflix -  26/08/2020 - UOL Entretenimento
Poster: Divulgação

Na série, vemos, basicamente, o mesmo enredo: Verônica Torres é escrivã da Delegacia de Homicídios de São Paulo. Em mais um dos seus monótonos dias é agraciada com um suicídio bem na sua frente, que a deixa intrigada para saber mais sobre a história de Marta Campos que precisava de ajuda, porém, foi ignorada pelos delegados. E em paralelo temos o drama vivido por Janete com seu marido, Brandão, que é Tenente da Polícia Militar e um protegido do sistema.

Bom Dia, Verônica trouxe para o elenco Tainá Müller (Verônica Torres), Camila Morgado (Janete), Eduardo Moscovis (Cláudio Brandão), Silvio Guindane (Nelson), Adriano Garib (Prata) e Elisa Volpatto (Delegada Anita). Salvo pela Delegada Anita, todos existiam anteriormente no drama.

Bom Dia, Verônica: série brasileira que retrata violência contra a mulher  chega à Netflix
Foto: Divulgação

A Delegada Anita foi uma surpresa boa para a trama. É aquela adição de personagem que faz diferença na história e não é de uma maneira nada sutil. Anita é uma espécie de alter ego do Delegado Carvana, que no livro é quem sempre bate de frente com Verônica. Porém, na série, quem tomou esse lugar foi a loira bonita. É mais agradável ver na telinha uma mulher enfrentando a outra, do que um cara querendo diminuí-la. Contudo, não deixa de ser extremamente angustiante, olhar para a cara da Delegada é enervante.

Camila Morgado é mulher de serial killer em 'Bom dia, Verônica', série da  Netflix - Telinha - Extra Online
Foto: Divulgação

Em uma entrevista, o autor Raphael Montes contou que pediu para Camila Morgado não ler o livro, porque a personalidade dela deu uma leve mudada em relação a obra. Além da personagem ter se tornado um pouco mais ativa, ainda assim, sofre com a violência doméstica. E Eduardo Moscovis está nojento em seu papel, realmente encarna o personagem abusador.

Bom Dia, Verônica | Crítica - NerdBunker
Foto: Divulgação

Por fim, Verônica Torre interpretada por Tainá Müller faz seu papel com maestria. Apesar de algumas mudanças tanto na personalidade quanto na aparência física, nada disso de fato influência na mensagem final.

Bom Dia, Verônica é um thriller policial necessário para mostrar como vítimas de violências contra mulher são tratadas em delegacias, sendo desacreditadas não só por homens, mas também pelas próprias mulheres que as taxam de loucas. Mostra que quem resolver desvendar o sistema e expô-lo ao mundo será caçado, porque, né, a corrupção está nas veias do país. E também nos trás a visão da vítima dentro de um relacionamento abusivo, sofrendo violência doméstica e dizendo que a culpa é dela, sem ser.

Assista ao trailer


LEIA A RESENHA DO LIVRO BOM DIA, VERÔNICA


SAIBA AS DIFERENÇAS ENTRE O LIVRO E A SÉRIE BOM DIA VERÔNICA


Crítica feita por Bianca Nunes

3 comentários sobre “Bom Dia, Verônica: série é para os que tem estômago forte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.